★ Cerimônia do Nosso Casamento Religioso F&C [1] ★

Esses últimos dias eu vivi uma montanha russa de sentimentos com a despedida da Ana (grávida de sete meses do meu afilhado Théo), da Clarinha que é filha dela de 7 anos (também minha afilhada) e de Stephane, o esposo dela. Tudo amplificado por uma mega TPM, marido voltando a viajar e eu só fazia chorar escondido ou dormir. Foi meio pauleira essa semana, entre outras coisas. Mas enfim, dia 25 eu já vou completar um mês de casada e quero ter terminado com os posts oficiais do casamento assim como outras pendências que tenho para resolver. Pois é, vc para um pouco para chorar, mas a vida continua e quando tu retornas tudo está um verdadeiro caos, mas sou mestre em dar ordem aos caos, então vamos lá!

★ Cerimônia do Nosso Casamento Religioso F&C 
* Parte 1 *


Como eu havia contato no post do making off, eu fiquei pronta mais cedo do que o esperado, o que de forma alguma foi ruim, já que o Padre que celebrou nosso casamento é super requisitado, tem 50 anos de sacerdócio e é um querido da sociedade, porém, ele não permite que a noiva atrase e forma alguma! E quando eu pensava nisso eu chegava a ter medo do Padre, juro... Hahaha! Mas sinceramente, ele não poderia ter sido mais fofo, adorei assim como todo mundo que assistiu. Ele, no fim, de brincadeira, deu até pra mim e a Charles uma carteira de identidade casados, uma graça!

Eu fiquei dando notícias ao vivo pela internet o tempo todo, não sei como o celular não descarregou, porque Charles também me ligava o tempo todo dizendo que ainda não era a hora de eu sair do Studio, já que antes do meu casamento estava acontecendo uma missa. Mas tudo bem, quando eu soube que o noivo já estava no altar e que não tinha mais como ele ver pelo celular a noiva dele antes da hora - dizem que dá azar, né? Enfim, me precavi -, dai, só então  publiquei uma foto minha no Facebook para o delírio geral da nação que não pode ir ao casamento, seja porque estava na Alemanha, nos EUA ou aqui mesmo na cidade.

E também já estava cansada de esperar e resolvi ir por minha conta mesmo a igreja - com o motorista, é claro -, mas sem que meu Pai ou qualquer outra pessoa soubesse. Sabe quando vc quer dar aquela olhadinha? Foi o que fiz, mas adivinha quem me viu passando no carro? Aline, siiiim, minha afilhada de dois aninhos que ficou dizendo pra todo mundo: "Olha, é Dinda! É Dinda!!!" e ninguém entendeu nada porque eu já ido embora dar mais uma volta do carro enquanto o cortejo já começava a entrar.

Um coisa angustiante de ser a noiva, que eu nunca tinha pensando sobre isso, é que a noiva não vê nada do casamento. Não vê o noivo entrando, não vê os padrinhos, não vê o cortejo... não vê a entrada da noiva, porque você mesma é a noiva. É uma agonia, mas faria tudo de novo... Olha eu aqui, pagando a língua, já que nos últimos tempos eu é que não queria casar no religioso. Achava dispendioso e desnecessário. Quanto engano! Para a minha saúde mental foi fundamental, porque eu realmente me ocupei depois da perda do Bebê-Docinho e fora a comunhão com Deus que você sente naquele momento. Eu falava: "parece que não ando, flutuo."

A florista foi Amanda, que é uma menina muito especial para mim, porque ela nasceu cinco meses depois de minha mãe falecer, então quando aquela menininha linda veio ao mundo o meu sofrimento foi indo embora pouco a pouco e nós duas eramos (e somos) inseparáveis.




E quando eu digo que o trabalho foi grande, é porque foi mesmo. Da cesta das florista, ao arranjo de cabeça das Daminhas, os convites, as lembrancinhas que foram potes de mel (depois explico o porquê), tudo, tudinho fui eu que fiz. E como AMEI fazer! Ficou exatamente como eu queria.


O vestido de Amanda e Clara (a florista e a dama) foi escolhido na França. O de Clara na cor marfim e ouro e o de Amanda marfim e marrom - as cores da festa -; e, apenas por fotos do vestido de Clara se vez o de Amanda. E olhe que os vestidos delas são cheio de rendas, detalhes, mas ficaram iguais, mesmo um sendo comprado em Paris e o outro sendo feito em Recife.

Clarinha - que veio da França, lembra? -, além de entrar como Dama de Honra, entrou na Benção das Alianças também e deu um show, aliás, todas as crianças fizeram tudo muito perfeitinho, eu vou colocar vídeos - acredito que em outro post - de alguns convidados que estavam na festa e filmaram, para o meu delírio, porque eu, em plena Lua de Mel, queria ver como eles tinham entrado. Hahaha :) Mas ficou lindo, lindo e lindo e eu morri de orgulho das minhas criancinhas!


Em seguida veio Natan & Aline do altos dos seus 3 e 2 anos, com todo mundo dizendo que eles não iriam entram, que na hora iriam ter vergonha, mas eles foram simplesmente os Noivinhos do casamento!


Aline ela entrou de anjo - ideia minha -, primeiramente, em especial, pelo meu anjinho que perdi, o Bebê-Docinho, mas ninguém sabia exatamente que ela estava entrando com asas de anjo por isso, porque eu não contei a ninguém o motivo real, apenas fiz acontecer: encomendei a asa e dourei um chupetinha (para ela não se sentir tão amedrontada em meio a tanta gente) e deu tudo certo. Simbolicamente era o MEU ANJINHO... e ela é o meu anjo em vida. Aline é a LUZ dos meus olhos, minha afilhada... eu sou louca por ela. Se tivesse que comparar o amor que sinto por ela e que sinto pelo bebê que perdi, diria que são muito parecidos em intensidade, tamanho e são infinitos. Para sempre meus amores!


Parece até uma coisa nostálgica, triste, mas não é... Meu Bebê-Docinho veio no dia certo e se foi no dia certo. Ele completou a missão dele aqui mesmo sem eu ter podido carregá-lo nos braços, ter visto seu rostinho. Meu bebê precisava de amor e recebeu. Eu de amadurecimento... para saber que na vida se cai, mas quando se tem DEUS dentro do coração, tudo se suporta. Hoje sou feliz por Deus ter me dado a Graça de conceber uma vida, de sentir ela mim... é claro que na época eu fiquei arrasada, mas eu CREIO NOS PROPÓSITOS DE DEUS e com Ele sigo e sou feliz.

Natan foi um galã a parte. O conheci por causa da internet, acredita? O famoso Fotolog que na época eu organizei um encontro aqui em Recife e pronto, foi amor a primeira vista, como podem ver nesse post.

Meu Pajem, o Natan, é o menino mais cheio de atitude que conheço. Super bem resolvido, isso muito se deve ao fato da sua criação, disso tenho certeza. Natan nasceu livre, de braços abertos pro mundo, sem medo e eu quero muito aprender a ser assim com meus filhos.


Mais Detalhes Abençoados Desse Casamento no próximo post...

Corações partidos...

...pela distância, mas unidos PARA SEMPRE pelo amor.

video

Eu que estava tentando me controlar, mas ao ver Clara chorando (desesperada) na ala de embarque me acabei. Minha menininha, como te amo e como essa distância é ingrata. A bixinha soluçava agarrada a mim, agarrava Ana... Toda perdida. Partiu meu coração mesmo, vim o caminho todo para casa chorando... Tia/Dinda Bí te ama muito minha menininha!

Merci - au revoir.

Eu não queria 'cortar' a sequência de posts do casamento,
mas admito: tá doendo!

Sabe o que é ter alguém ou 'alguens' que moram do outro lado do
oceano e vc não pode abraçar, beijar, conversar? 
Pois eu sei... e são  pessoas ESSENCIAIS para minha vida.
Como e difícil dar 'tchau'!

E olhe que quem me acompanha no Facebook sabe que nos
últimos dia eu só tenho feito uma coisa:
curtir a minha família que mora na França. 
Que veio em especial para o casamento;
mas, amanhã é hora de dar 'tchau'
(de novo!).





Ah, Paris... Porque você não é ali, 
do outra lado da minha rua?!



Vídeos por Regina que estuda Cinema 
simplesmente na Université Paris Sorbonne - Paris IV.

Ah, para TUDO!!!


Se eu pedir a Papai do céu uma coreanazinha dessa,
será que Broto vai estranhar muito quando
Bebê-Docinho-Made-in-Corea-do-Sul nascer?!

Ah, e é claro que eu estou participando do sorteio de lançamento do Minha Mãe que Disse!

★ Making Off do Casamento de F&C ★

Bom dia meninas, aqui são 11:02hrs da manhã - quase meio dia - e a preguiça nessas últimas semanas me pegou feio, tanto que tomei uma resolução de vida que irei contar assim que tudo estiver nos conformes, formalizado e concretizado.

Mas então, eu estava devendo um post sobre o casamento, não é? Mas aí me dei conta que não dava para falar de uma dia tão grande - agora entendo o porquê de "O Grande Dia" ser sinônimo de "Casamento" - em um único post, por isso vou dividir em três posts com mais um extra sobre a Lua de Mel e tudo mais.

★ Making Off do Casamento de F&C ★ 

Incrivelmente eu consegui dormir bem na véspera do casamento. Foram dias complicados naquela semana, quem me acompanha pelo Facebook sabe que de um resfriado eu ganhei uma sinusite, de uma sinusite uma faringite e depois os pulmões foram atacados pela mesma bactéria. A bomba maior é que eu fiquei sem voz! Como pode uma noiva ficar sem voz para o tão sonhado "Sim, eu aceito me casar com você"? Mas foi assim mesmo que aconteceu.

Meu médico não resolveu brincar, atacou logo com Arcoxia 60 e corticóides, mas quando a infecção continuou persistente e ainda avançou pelo resto do sistema respiratório eu entrei na inalação (5ml de soro fisiologico + 8gts de Berotec + 20gts de Atrovent) e no Clavulin BD, junto, é claro, de muito líquido - recomendação da Marcinha - e um banho de rosas brancas com Alfazema que foi indicação de outra amiga minha, por coincidência também chamada Márcia. Só sei que no dia do casamento eu estava falando e cheia de vigor; e isso com diferença de umas 30hrs de uma quadro de febre, prostração, afônica e asma, para apenas voz sexy de atendente de telemarketing.

No dia anterior ao casamento só deu para arrumar as malas do Dia de Noiva mesmo, já que eu iria usar todos os meus produtos, muitos que a Marcia me mandou lá da Alemanha - mais uma vez, muito obrigada querida! - e mais um meio mundo que eu já tinha. Porque é fato, minha pele é fácil de se tratar, pura seda (quando não estou na TPM), mas experimente colocar algo que tape os seus poros e é bronca certa. Sem falar que sete dias antes do casamento eu tinha feito limpeza de pele no Studio Rosarinho; e há quem reclame horrores de limpeza de pele, eu sei que eu praticamente dormi, tamanho cansaço e corre-corre. Quando me dei conta minha pele estava simplesmente um luxo e tudo feito com produtos naturais, como argila verde e branca. A esteticista indicou apenas usar La Roche-Posay Eau Thermale (que é a que eu já usava mesmo) e sabonete Dove até o dia do casamento, e assim fiz.


Acordei por volta das 10hrs com o pessoal do Studio já me telefonando. Iriam deixar meu cabelo nos bobs e eu voltaria para casa, almoçaria, faria mais uma inalação, enquanto as Daminhas e uma das Madrinhas eram arrumadas, fiquei de voltar as 16hrs. Durante esse tempo até dormi (de novo!) eu dormi. Sabe o que é a sensação de finalmente tudo está pronto, tudo está certinho e não está faltando nada?! Se mão sabe eu te conto, é uma das coisas mais gostosas que já senti na vida! 


Voltei como prometido as 16hrs de banho tomado (novamente ) e logo os fotógrafos chegaram. 


Eu sou uma pessoa que adora estar atrás das lentes e não na frente delas, então escolhi fotografias no estilo Fotojornalismo, aquelas que não se precisa fazer poses marcadas - além das oficiais -, ou seja, acontece tudo de forma mais natural.


Eu mesma escolhi a make e o penteado. Teve um prova antes, mas no dia mudei tudo! Haha! Coisas de noivas. Eu queria algo que realçasse meus imensos olhos castanhos, que frisasse bem meu cílios longos, as sobrancelhas bem feitas (e pintadas com uma máscara marrom, maravilhosa que a Márcia também mandou) e ainda deixasse uma ar iluminado no olhar, nas bochechas com um tom bronze, saudável e a boca nude. No cabelo, cachos ao coque preso com franjão aparente ao lado; e assim se fez.





E olhe, não demorou muito para que eu ficasse pronta não. Unhas postiças postas - ficaram lindas, não foi Marcinha? - e elas aguentaram até a Lua de Mel. Só faltava terminar de fato a make, colocar o vestido - isso sim foi meio punk porque seu cabelo está arrumado, seu rosto está perfeito e o meu vestido só entra de uma forma: pela saia, ou seja, passando pela cabeça, depois ombros  e tals. Mas os colocamos sem desastre algum.

Coloquei nuvens de Allure Sensualle Chanel, presente da prima Karina, lá da Flórida e me senti pronta, porém acho que fui a primeira noiva a ficar pronta quase uma hora antes do casamento, dai tive que esperar no Studio até que me telefonassem e dissessem que eu poderia ir. O motorista já me esperava a muito tempo no lado de fora do Studio com o carro ligado; mas o que fazer? Ainda era cedo.




E o Casamento de Conto de Fadas só estava começando...

E chegou Julho...

...e cadê meu ritmo de vida? Estou totalmente a mercê das oportunidades... Mas como assim? É que eu estava tão acostumada com o corre-corre do casamento que estou me achando uma bela de uma preguiçosa por dormir até meio dia (meu Deus, nem lembro quando isso aconteceu pela última vez). Não tomo café da manhã e pulo direto pro almoço. Se brincar, ainda durmo mais um pouco, a tarde, com o marido. A noite a gente sempre dá uma saída porque ele está de licença e eu fico pensando quando vou voltar ao 'normal'. Ter sempre o que fazer, ter rotina. Nunca achei que diria isso, mas me sinto perdida sem rotina, acreditam? Mas logo volta, porque assim que as fotos oficiais do casamento chegarem eu tenho um monte de cartas com fotos para revelar e enviar; ao menos, uma ocupação a vista além de dormir, comer e curtir a vida. Não que isso seja ruim... porque não é mesmo! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...