Sobre partos absurdos!

As pessoas deveriam entender que a cesariana, no Brasil, virou quase um rotina, mas é porque muitas mães desejam assim mesmo, salvo - é claro - as exceções dos médicos 'cesaristas' que impõem a sua vontade dizendo: "seu bebê corre risco, está em sofrimento!" Que mãe vai seguir em frente ao ouvir isso? Mas uma coisa é certa, desejo de mãe não deve ser contestato, é ordem! Sou a favor do parto normal pra mim, quanto as outras, o parto são delas!

As pessoas gostam de mostrar as 'cesarianas desnecessárias', mas o que diariamos desse parto normal mortal?

Bebê sofre fratura durante o parto em SP e morre dois dias depois.
Prefeitura de Atibaia, investiga hipótese de erro médico. Criança nasceu de parto normal e pesando 3,5 kg; mãe tem 14 anos.
Fonte (via)

O nascimento e a morte de um bebê na Santa Casa de Atibaia, a 64 km de São Paulo, são investigados pela prefeitura da cidade por suspeita de erro médico. No último sábado (2), a mãe, uma garota de 14 anos, deu à luz de parto normal um bebê de 3,5 kg. Nesta segunda-feira (4), a criança morreu.
A família da adolescente diz que houve erro porque o médico deveria ter feito parto cesáreo. "Eu cheguei e estava sentindo muita dor, só que o neném estava bem. Eu pedi para fazer parto cesárea e ele disse que não, não tinha passagem para o nenê", conta a adolescente, que é de Minas Gerais e no oitavo mês de gestação foi morar com parentes em Atibaia.
Segundo a família, o bebê tinha fraturas pelo corpo. "Após o parto, o bebê foi para o berçário e ficou com um hematoma muito grande na cabeça e o bracinho quebrado. O médico forçou o braço dele para poder realizar o parto", relata Maria Rodrigues, a tia da adolescente.
Maria disse que chegou a solicitar a transferência da criança para UTI, mas o bebê ficou dois dias na incubadora e morreu. Segundo a Santa Casa, a causa foi parada respiratória.
A Prefeitura de Atibaia informou que ainda está levantando informações sobre a morte da criança com a Santa Casa, mas que já sabe que, pela idade da jovem e pelo tamanho do bebê, o parto é considerado de risco e deveria ter sido encaminhado para Campinas, a 93 km de São Paulo.
A transferência não aconteceu porque a rede municipal de saúde não sabia da situação da adolescente, já que a jovem não fez o exame pré-natal na cidade e não há registro algum de atendimento dela antes do parto.

Minha função com esse post, como sempre, não é ser a favor de parto normal, humanizado ou cesárea. Eu sou a favor das escolhas e possibilidades da mulher, porque é fato nem todas podem parir lindamente como índias, de cócoras, o que é o nosso sonho. Mas a realidade é outra. Muitas podem sim parir naturalmente, e muitas dessas que poderiam optam por cesareana. E porque descriminar isso? O nascer não deveria ter se tornado tabu.

4 comentários:



Talita disse...

A culpa não foi do parto normal, e sim do médico que não soube intervir na hora certa.

Não confundir alhos com bugalhos...

Ludmilla disse...

Eu vi isso e fiquei escandalizada! Tive meu filho por parto "anormal" porque eu vou te contar, viu? Falo pra todo mundo que prefiro parir em casa a enfrentar outro parto como o que eu tive. Vou só te dar um resumo: minha bolsa rompeu às 4 da manhã e meu filho nasceu às 3 da tarde! E mais: esperaram tanto (comigo sofrendo os horrores da ocitocina na veia)que quando resolveram arrancar meu filho de mim, digo arrancar porque foi o que realmente aconteceu, tiraram ele no fórceps porque eu não obtive a dilatação completa e ele não estava ainda "encaixado". Olha o absurdo: o médico teve de virá-lo com o fórceps dentro de mim. E quando ele finalmente saiu, veio desmaiado, roxo. Achei que tivesse perdido o meu bebê. Ele teve nota 2de apgar. Mas Deus é maior e hoje meu filhão é uma criança normal e sadia, o que poderia não ter acontecido, graças à saúde pública no Brasil. Palmas para ela, país da piada pronta. Deixo aqui minha indignação e a vergonha de ter nascido em um país que não respeita seus cidadãos.

♥ Fabíola (Bi). disse...

PARA TALITA: mas em nenhum momento o meu post ou a própria reportagem culparam o PN, e o que quis defender, se vc tiver lido até o fim, está até em negrito foi: "Eu sou a favor das escolhas e possibilidades da mulher..."

Até porque a menina PEDIU uma cesarea, não foi mesmo? Então não ou houve confusão de minha parte ou da reportagem que, em si fala em até "erro médico".

Abraços.

Elza Carrara disse...

Fabíola,
Gostei do seu post :)
Afinal, o bem estar do bebê e da gestante devem estar sempre em 1° lugar, independente do parto.
Mas infelizmente, o parto normal virou uma coisa "anormal".
Eu sou totalmente contra cesárias desnecessárias, só feitas pela conveniência do médico que marca hora para abrir e tirar o bebê, sem atrapalhar a agenda dele!
Posso falar por mim, que optei pelo parto normal, com dores e tudo mais, não para ser reconhecida por isso, mas por querer ter essa experiência na minha vida, saber que sou capaz, saber que eu ajudei meu bebê a chegar no mundo.
Mas se tivesse complicações, faria uma cesária sem problemas, porém jamais tomaria essa decisão por outra pessoa, há não ser por mim.
Outro dia vi o caso de uma gestante que chegou com dores no hospital e os médicos fizeram uma cesária, daí constataram que não havia bebê, era uma gravidez psicológica. O Estado questionou a falta de exames antes de tomar a decisão, isso só mostra como a cesária está banalizada nesse país!
Um lástima.
Puxa, acho que falei demais, vou culpar meus hormônios descontrolados, ahahaha
Bjs.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...