Depressão é uma palavra freqüentemente usada para descrever nossos sentimentos. Todos se sentem "para baixo" de vez em quando, ou de alto astral às vezes e tais sentimentos são normais. A depressão, enquanto evento psiquiátrico é algo bastante diferente: é uma doença como outra qualquer que exige tratamento.

Muitas pessoas pensam estar ajudando um amigo deprimido ao incentivarem ou mesmo cobrarem tentativas de reagir, distrair-se, de se divertir para superar os sentimentos negativos. Os amigos que agem dessa forma fazem mais mal do que bem, são incompreensivos e talvez até egoístas. O amigo que realmente quer ajudar procura ouvir quem se sente deprimido e no máximo aconselhar ou procurar um profissional quando percebe que o amigo deprimido não está só triste.

Uma boa comparação que podemos fazer para esclarecer as diferenças conceituais entre a depressão psiquiátrica e a depressão normal seria comparar com a diferença que há entre clima e tempo. O clima de uma região ordena como ela prossegue ao longo do ano por anos a fio. O tempo é a pequena variação que ocorre para o clima da região em questão. O clima tropical exclui incidência de neve. O clima polar exclui dias propícios a banho de sol. Nos climas tropical e polar haverá dias mais quentes, mais frios, mais calmos ou com tempestades, mas tudo dentro de uma determinada faixa de variação. O clima é o estado de humor e o tempo as variações que existem dentro dessa faixa.

O paciente deprimido terá dias melhores ou piores assim como o não deprimido. Ambos terão suas tormentas e dias ensolarados, mas as tormentas de um, não se comparam às tormentas do outro, nem os dias de sol de um, se comparam com os dias de sol do outro. Existem semelhanças, mas a manifestação final é muito diferente. Uma pessoa no clima tropical ao ver uma foto de um dia de sol no pólo sul tem a impressão de que estava quente e que até se poderia tirar a roupa para se bronzear. Este tipo de engano é o mesmo que uma pessoa comete ao comparar as suas fases de baixo astral com a depressão psiquiátrica de um amigo. Ninguém sabe o que um deprimido sente, só ele mesmo e talvez quem tenha passado por isso. Nem o psiquiatra sabe: ele reconhece os sintomas e sabe tratar, mas isso não faz com que ele conheça os sentimentos e o sofrimento do seu paciente.

As causas de depressão são diversas, de maneira que somadas podem iniciar a doença. Deve-se a questões constitucionais da pessoa, com fatores genéticos e neuroquímicos (neurotransmissores cerebrais) somados a fatores ambientais, sociais e psicológicos, como:

[ ✖ ] Estresse
[ ✖ ] Acontecimentos vitais, tais como crises e separações conjugais, morte na família, climatério, crise da meia-idade, entre outros.

Os sintomas da depressão são muito variados, indo desde as sensações de tristeza, passando pelos pensamentos negativos até as alterações da sensação corporal como dores e enjôos. Contudo para se fazer o diagnóstico é necessário um grupo de sintomas centrais:

[ ✖ ] Perda de energia ou interesse
[ ✖ ] Humor deprimido
[ ✖ ] Dificuldade de concentração
[ ✖ ] Alterações do apetite e do sono
[ ✖ ] Lentificação das atividades físicas e mentais
[ ✖ ] Sentimento de pesar ou fracasso
[ ✖ ] Os sintomas corporais mais frequüentes são sensação de desconforto nos batimentos cardíacos, constipação, dores de cabeça, dificuldades digestivas. Períodos de melhoria e piora são comuns, o que cria a falsa impressão de que se está melhorando sozinho quando durante alguns dias o paciente sente-se bem. Geralmente tudo se passa gradualmente, não necessariamente com todos os sintomas simultâneos, aliás, é difícil ver todos os sintomas juntos. Até que se faça o diagnóstico praticamente todas as pessoas possuem explicações para o que está acontecendo com elas, julgando sempre ser um problema passageiro.

Outros sintomas que podem vir associados aos sintomas centrais são:

[ ✖ ] Pessimismo
[ ✖ ] Dificuldade de tomar decisões
[ ✖ ] Dificuldade para começar a fazer suas tarefas
[ ✖ ] Irritabilidade ou impaciência
[ ✖ ] Inquietação
[ ✖ ] Achar que não vale a pena viver; desejo de morrer
[ ✖ ] Chorar à-toa
[ ✖ ] Dificuldade para chorar
[ ✖ ] de que nunca vai melhorar, desesperança...
[ ✖ ] de terminar as coisas que começou
[ ✖ ] Sentimento de pena de si mesmo
[ ✖ ] Persistência de pensamentos negativos
[ ✖ ] Queixas freqüentes
[ ✖ ] Sentimentos de culpa injustificáveis
[ ✖ ] Boca ressecada, constipação, perda de peso e apetite, insônia, perda do desejo sexual

A causa exata da depressão permanece desconhecida. A explicação mais provavelmente correta é o desequilíbrio bioquímico dos neurônios responsáveis pelo controle do estado de humor. Esta afirmação baseia-se na comprovada eficácia dos antidepressivos. O fato de ser um desequilíbrio bioquímico não exclui tratamentos não farmacológicos. O uso continuado da palavra pode levar a pessoa a obter uma compensação bioquímica. Apesar disso nunca ter sido provado, o contrário também nunca foi.

Eventos desencadeantes são muito estudados e de fato encontra-se relação entre certos acontecimentos estressantes na vida das pessoas e o início de um episódio depressivo. Contudo tais eventos não podem ser responsabilizados pela manutenção da depressão. Na prática a maioria das pessoas que sofre um revés se recupera com o tempo. Se os reveses da vida causassem depressão todas as pessoas a eles submetidos estariam deprimidas e não é isto o que se observa. Os eventos estressantes provavelmente disparam a depressão nas pessoas predispostas, vulneráveis.

— Mas calma, muita calma e paciência nessa hora. Desde que minha mãe faleceu, há onze anos atrás, isso vem e volta, vai e volta, maaaas fazia tempo, acho que mais de um ano que eu não tinha uma crise dessas, mas ela vai embora... Elas vão passando, como todas as outras e eu!? Eu passarinho!


Ref. Bibliograf:

Liv 01 Liv 19 Liv 03 Liv 17 Liv 13 Eur. Psychiatry 2001; 16: 327-335
Relapse and Recurrence Prevention in Major Depression
JG storesum
J Psychiatry Res. 2000; 48: 493-500
Severe Depression is Associated with Markedly Reduced Heart Rate?
Phillis K Stein Psychiatry Research 2001; 104: 175-181
Symptoms of Atypical Depression
Michael Posternak


PS¹.: as coisas que estão em negrito são as que estou sentindo.
PS².: e eu nunca fui tão sincera e aberta sobre esse assunto aqui, na internet. Já fiz terapia, tratamentos e devo voltar a um caso as coisas não se ajustem, e é exatamente por isso que estou postando isso. Caso eu demore a aparecer, não se assustem, as coisas apenas estão se ajustando, de uma forma ou de outra.
PS³.: daqui há 3 dias é meu aniversário! As 08:40hrs do dia 04 de Maio de 2010 eu vou completar meus 29 anos. C'est la vie!!!


4 comentários:



Bal disse...

É bom tentar se fazer entender... Escutar coisas do tipo "Sai dessa!" pode ser bem doloroso...

Eu passo por isso há uns 7 anos...

Maíra disse...

É, eu sei bem pelo que vc está passando, Bi. Apesar de nunca ter tratado, eu já passei por algumas fases de depressão e acho que essa que estou agora anda sendo a pior. Disso tudo que vc citou no seu texto, acho que estou sentindo quase tudo. Anda sendo difícil. Eu ando tentando superar sozinha, mas não está sendo fácil, estou pensando em procurar um psiquiatra, porém tenho um problema sério com psiquiatras e psicólogos, não gosto de conversar e me abrir com eles, e também odeio tomar remédios!
Mas, enfim, torço para que você melhore, para que você volte a ver a vida com todas as cores que ela tem! Vc é uma pessoa mto especial, alegre, que passa sua alegria para quem a vê (mesmo de longe, como eu), e eu desejo do fundo do coração que você consiga vencer essa depressão!

Beijinhos

claudia disse...

Torcendo por sua melhora. Beijinho

Live from Germany disse...

Forca neste momento!!! E, aliás, feliz aniversário!!
Muita paz, amor, alegria, sucesso e felicidades pra vc!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...