Calendário Vacinação

Como bióloga, hoje eu vim bater um papo sobre IMUNIZAÇÃO com vcs e tentar elucidar algumas dúvidas e mitos inclusive sobre a vacina da H1N1..

Desde 2004, o Ministério da Saúde Brasileiro adota três calendários obrigatórios de vacinação e, ao contrário do que se pensa, não só os bebês e crianças devem ser vacinados ou possuem calendário de vacinação, TODAS as faixas etárias são/devem ser cobertas por imunicações regulares, tendo cada uma das fases um calendário diferenciado, confira abaixo:

(*) Esses calendários são os gerais, o que devemos cumprir trivialmente sobre os excepcionais, como o da H1N1, vou falar mais abaixo.

A imunização é a maneira mais eficaz de se prevenir contra diversas doenças, como poliomielite (paralisia infantil), tuberculose, rubéola e febre amarela, entre outras, é a vacinação. Ao se vacinar, a pessoa passa a ter proteção (anticorpo) e torna-se imunizado. O que pode evitar muita, mas muita dor de cabeça futura. Meu cartão de vacina está totalmente em dia. Se vc não tem um, peça um no posto de saúde mais próximo a sua casa e o coloque em dia urgentemente.



Meu cartão está velhinho tadinho, mas totalmente em dia e muito bem guardado. Em breve receberá o carimbo da H1N1. Não tem o da rubéola porque eu já tive a doença e, portanto, já sou imune a ela. O calendário - aqui no Brasil


CRONOGRAMA DE VACINAÇÃO DOS GRUPOS PRIORITÁRIOS
Grupos Prioritários
Data da vacinação
Trabalhadores da rede de atenção à saúde e profissionais envolvidos na resposta à pandemia
08/03 a 19/03
Indígenas
Gestantes (mulheres que engravidarem após esta data poderão ser vacinadas nas demais etapas da campanha)
22/03 a 02/04
Doentes crônicos (Idosos com doenças crônicas serão vacinados em data diferente, durante a campanha anual de vacinação contra a gripe sazonal)
22/03 a 02/04
Crianças de seis meses a menores de dois anos
22/03 a 02/04
População de 20 a 29 anos
05/04 a 23/04
CAMPANHA NACIONAL DE VACINAÇÃO DO IDOSO Pessoas com mais de 60 anos vacinam-se contra a gripe comum. Aqueles com doenças crônicas também serão vacinados contra a gripe pandêmica
24/04 a 07/05
População de 30 a 39 anos
10/05 a 21/05

(*)Dados acima foram extraido do site do Ministério da Saúde que podem ser conferidos aqui.


E agora vamos debater sobre alguns mitos sobre a

vacinação da H1N1 para a população.


H1N1. Mitos e verdades sobre e-mails que circulam na web.

1. A pessoa contrai o vírus da gripe quando toma a vacina?
Coordenadora Martha Casagrande - Isso é impossível de acontecer. A vacina não é constituída do vírus da doença. São pequenas partículas do vírus, em decorrência disso, eles não são capazes de se multiplicar no organismo. Não existe a mínima possibilidade da vacina provocar a doença. Como, às vezes, a pessoa sente mal-estar pela resposta imunológica, ela confunde com a doença. Essas partículas funcionam no organismo como um agressor, imediatamente, o nosso sistema imunológico começa a reagir e produzir os anticorpos contra essas partículas do vírus. Se a pessoa entrar em contato com o vírus selvagem, ela estará protegida porque já tem anticorpos protetores.

2. Existem vários e-mails circulando na internet dizendo que o objetivo da vacina é reduzir a população mundial, por isso, as crianças e grávidas estão sendo vacinadas. O que o senhor tem a dizer sobre isso?
Infectologista Lauro Pinto Neto - As pessoas falam tanta bobagem porque já se esqueceram do número de grávidas e crianças pequenas mortas no Brasil. Não foram duas nem três, foram milhares. As pessoas brincam com coisas sérias. Existe uma doença que matou muita gente.

3. Se o vírus da gripe é mutável, essa vacina pode garantir que a pessoa não tenha a doença até quando?
Infectologista Lauro Pinto Neto - Pelo menos por agora. Para o ano que vem não podemos dizer ainda. A previsão é de que seja uma vacina para gripe, com a H1N1 e outros vírus. No Estado, a rede privada de saúde receberá a vacina comum para a gripe já com a H1N1, na segunda quinzena de abril. Ainda não sei o valor.

4. Porque determinadas pessoas estão sendo vacinadas e não toda a população?
Coordenadora Martha Casagrande - O Ministério da Saúde adotou essa estratégia de vacinar os grupos considerados prioritários para o enfrentamento desse vírus pandêmico, que é o H1N1. Não foi possível o Brasil comprar uma quantidade de vacina para toda a população. Não que o Ministério não quisesse, mas não existe no mundo fabricantes para essa quantidade. Foi necessário priorizar os grupos mais vulneráveis, os que mais morreram e adoeceram em 2009.

5. Qual é a diferença entre as vacinas aplicadas em grávidas e em doentes crônicos?
Coordenadora Martha Casagrande - Existem dois tipos de vacinas. Uma tem adjuvante e a outra não. O adjuvante é um produto que aumenta a potência da vacina, ou seja, com quantidades menores consegue-se fazer o mesmo número de anticorpos. Como os adjuvantes são produtos a mais dentro da vacina que podem eventualmente levar a alguma reação adversa, nós preferimos vacinar as gestantes sem o adjuvante. Por se tratar de um grupo todo especial. Os outros grupos, inclusive as crianças, podem ser vacinadas com os dois tipos de vacina, depende da que estiver disponível no momento. As duas são vacinas muito boas.

6. Que reações a vacina pode causar?
Coordenadora Martha Casagrande - Algumas pessoas podem sentir febre, dor no corpo, dor de cabeça, dor de garganta, mas a maioria dos eventos são leves e se resolvem em 48h. Analgésicos são suficientes para que as pessoas se sintam melhor. São eventos esperados, são reações individuais. O mais importante é que a pessoa estará protegida contra a doença.

7. Em algum momento toda a população será vacinada?
Coordenadora Martha Casagrande - Não existe essa previsão. O Ministério da Saúde se programou para vacinar esses grupos prioritários que representam cerca de 50% da população brasileira. Mas, mesmo sabendo que nem todas serão vacinadas, com certeza você vai diminuir a circulação do vírus, e menos pessoas terão a doença.

8. Alguém pode ficar inválido por tomar a vacina?
Infectologista Tâmea Possa - Essa dúvida está surgindo porque na última gripe suína, nos anos 70, houve um início de um surto. Na época, foi produzida uma vacina que causou muitos casos de uma doença que causa paralisia - a Síndrome de Guilambarre - o paciente tem um comprometimento da medula. Oficialmente eu não tenho informações de que isso está acontecendo agora. Isso para mim é uma boataria. Todos os profissionais de saúde foram vacinados e nós não tivemos nenhum caso. Além disso, várias coisas podem gerar essa síndrome. Não podemos ter certeza. Às vezes, a medicina não pode esperar todos os passos. Por exemplo, ficar 10 anos esperando milhões de testes. Também não acredito que se isso estivesse acontecendo, o governo se calaria.

9. A entrada no mercado da vacina foi acelerada, o que significa que todos os efeitos colaterais a médio e longo-prazo não são conhecidos. (afirmação de um dos e-mails)
Infectologista Tâmea Possa - Nós vamos esperar morrer quantas pessoas para começar com a vacina? Tem que começar mesmo. Não podemos esperar a segunda leva. A primeira, no ano passado, matou mais de 18 mil pessoas. Existem situações de urgências que precisam ser respondidas com urgência. Sem contar que a vacina da gripe sempre foi feita com o vírus morto.

10. A vacina contém células de câncer de animal que podem provocar câncer nas pessoas?
Infectologista Tâmea Possa - Claro que não. De jeito nenhum.

Lembrando que toda e qualquer imunização pode haver contra-indicações que no caso específico da H1N1 são:

:: Antecedentes de uma reação grave a uma dose de uma vacina anterior.
:: Antecedentes de reação anafilática a qualquer dos componentes da vacina, nomeadamente aos excipientes ou às proteínas do ovo.
:: Antecedentes de Síndrome de Guillain-Barré nas 6 semanas seguintes a uma dose anterior da vacina são considerados contra-indicação relativa. A decisão de vacinar deverá ser ponderada caso a caso.

E os efeitos indesejáveis são geralmente semelhantes aos notificados com a vacina da gripe sazonal. Em linguagem simplificada temos:

Muito Frequentes – Afetam mais de 1 utilizador em 10 –

:: Cefaléia
:: Fadiga
:: Dor, vermelhidão, inchaço ou nódulo no local da injecção
:: Febre
:: Músculos doridos, dor nas articulações

Frequentes – Afetam de 10 utilizadores em 100 -

:: Sensação de calor, prurido ou nódoas negras no local da injecção
:: Aumento da sudorese, arrepios, sintomas “tipo gripe”
:: Gânglios aumentados na região do pescoço, axilas ou virilhas

Pouco Frequentes – 1 a 10 utilizadores em 1000 -

:: Formigueiro ou dormência das mãos ou dos pés
:: Sonolência
:: Tonturas
:: Diarreia, vómitos, dores de estômago, sensação de indisposição
:: Comichão, erupção cutânea
:: Sensação de mal estar geral
:: Insónias
:: Reações cutâneas generalizadas, inclusivamente urticária
:: Os efeitos secundários desaparecem geralmente entre 1 a 2 dias sem tratamento.

Raros – afetam de 1 a 10 utilizadores em 10000 -

:: Reações alérgicas que levam a uma diminuição perigosa da pressão sanguínea que, se não for tratada, pode originar choque. Os profissionais de saúde estão conscientes desta possibilidade, existindo tratamento de emergência disponível para utilizar nestes casos.
:: Equivalentes convulsivos e Convulsões
:: Sensação intensa de “facadas” ou de dor pulsátil ao longo de um ou mais nervos.
:: Contagem de plaquetas sanguíneas baixa, que pode resultar em hemorragia ou nódoas negras.

Muito Raros – Afetam menos de 1 utilizador em 10000 -

:: Vasculite (inflamação dos vasos sanguíneos que, podem causar erupções cutâneas, dor nas articulações e problemas nos rins)
:: Problemas neurológicos, tais como encefalomielite (inflamação do SNC), nevrite (inflamação dos nervos) e o Síndrome de Guillain-Barré.

Espero ter ajudado e esclarecido um pouco toda essa situação, todavida, no mais, o bom mesmo é retirar todas as suas dúvidas com o seu médico - o médico da família ou o clínico geral, pediatra que acompanha vc e/ou seus filhos - e também fazer todas as perguntas que quiser e desejar nos postos de saúde. É um direito seu saber o que vc está tomando, mas em todo caso eu acredito que a vacina foi muito bem elaborada e é eficaz contra o vírus da Gripe A. Eu vou me vacinar e vc?!


4 comentários:



Marisiaa disse...

Oi Bi, mto interessante o post!! A campanha de vacina aqui na Holanda foi a meses atraz, acho que uns 3 meses ja! Eu não vacinei e nem vacinei a Amy após ter conversado com meu médico que geralmente é a favor de vacinas!! Depois da campanha aqui teve varios países que cancelaram suas campanhas por causa das reações que pessoas e principalmente crianças tiveram! Acho tb que a mídia influenciou bastante aqui...pq logo após a campanha não vi mais nada na tv a respeito da gripe e da vacina, fiquei boba mesmo!! Em momento algum me arrependi de ter tomado essa decisão e respeito tb a decisão de outras pessoas, cada um sabe oq é melhor pra si msm não é?

bjossss

Lara disse...

Bi, eu vou tomar também! Já tentei ir duas vezes no posto, uma não tinha vacina e na outra não tinha gente pra aplicar rsss
Beeijos

 Marcelle disse...

Já fugi da etapa "gestantes" e agora vou fugir da faixa etária "20 a 29 anos"...rs

Opinião sobre vacina é algo mesmo muito particular...

Toda vez que alguém sabe que Zion não vai ser vacinado, me olha com uma cara de terror...rs

Mas é compreensível ;-)

Beijocas

Maíra disse...

Eu não tomei a vacina e aconselho todos que convivem comigo a não vacinar. Eu gosto muito do assunto "vacinas", leio muito, participo de uma lista de discussão sobre o assunto onde há profissionais da saúde e o pessoal envia muitos links falando sobre os contras das vacinas, já que a mídia brasileira só tenta mostrar os "prós", como se as vacinas não oferecessem riscos. Eu sou contra, sinceramente, prefiro pegar a gripe.
Se você quiser depois te passo alguns links muitos bons para você ler sobre o outro lado das vacinas.

Bjos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...